publicado a: 2017-08-23

Intervalo de segurança em uvas para vinificação

Quando observamos o Intervalo de Segurança de alguns fungicidas para videira, é possível encontrar uma diferença caso se trate de uva para vinho ou uva de mesa. Caso façamos uma pesquisa rápida no agrozapp, iremos encontrar, para o mesmo fungicida, um maior número de dias em uva para vinho do que em uva de mesa (inserir link para pesquisa).

A razão é invisível aos olhos. No processo de vinificação, a fermentação alcoólica representa um papel fundamental. Esta consiste, de uma forma simplificada, na ação de leveduras (fungos microscópicos) em condições anaeróbias, que decompõem os açúcares do mosto em álcool e dióxido de carbono. Ora, grande parte dos microorganismos responsáveis pelas doenças da vinha também são fungos, contra os quais aplicamos os fungicidas. Como vimos anteriormente as leveduras responsáveis pela fermentação também são fungos. Se estas encontrarem nos cachos um nível nocivo de substância ativa, não vão poder desenvolver-se.

Mostra-se assim que, em alguns casos o Intervalo de Segurança (já referido no artigo O intervalo de segurança e as boas práticas agrícolas e na infografia Intervalo de segurança) não tem apenas a ver com a segurança de quem consome o produto. Mesmo que os níveis de substância ativa presentes não apresentem perigo para um consumidor humano de uvas, podem, ainda assim, ser demasiado tóxicos para as leveduras responsáveis pela fermentação. Para garantir que tal não aconteça, aplica-se um Intervalo de Segurança maior, no final do qual se terá atingido um menor nível de resíduos.

Hugo Pires

Comentários