Encontro Internacional sobre Fitossanidade no cultivo do tomate

Espanha
De: 2019-12-11
até: 2019-12-12

O encontro internacional "Fitossanidade no cultivo do tomate: dos riscos atuais às novas ameaças" será realizado em Águilas - Múrcia (Espanha), nos dias 11 e 12 de dezembro.

Atualmente, o tomate é o vegetal mais cultivado no mundo e o de maior valor económico. A sua procura aumenta continuamente e com ela seu cultivo, produção e comércio. Segundo a FAO, em 2017 foram produzidos 182,3 milhões de toneladas em todo o mundo e a área dedicada a esse cultivo foi de 4.848.384 hectares.

Seus tipos e variedades, bem como estruturas e técnicas de produção, podem ser muito variados, mas muitos dos problemas fitossanitários mais importantes são comuns à maioria das áreas de produção. Os produtores de tomate enfrentam novos desafios relacionados com a fitossanidade: globalização que, apesar dos controles nas fronteiras, aumenta os riscos de expansão fitopatológica; aquecimento global, que não apenas permite a colonização de novas áreas por pragas, mas também modifica os seus ciclos e número de gerações capazes de completar ou inter-relacionar-se com seus inimigos naturais; regulamentos cada vez mais restritivos à disponibilidade e uso de materiais ativos e, portanto, produtos fitossanitários; ou os novos requisitos comerciais que às vezes dificultam a manutenção adequada de uma gestão integrada de pragas.

Nas últimas décadas, nenhum outro vegetal intensivo aumentou os problemas fitossanitários, como o tomate na bacia do Mediterrâneo. Durante esse período, novas pragas de artrópodes, formas especializadas de fungos e, pelo menos, onze virus surgiram ou foram introduzidos.

Por esses motivos, a Phytoma-Espanha, em colaboração com o Ministério da Água, Agricultura, Pecuária e Pesca da Região de Múrcia, o Instituto Murciano de Pesquisa e Desenvolvimento Agrícola e Alimentar (IMIDA) e a cidade de Águilas, organizam o Encontro Internacional Fitossanidade no cultivo do tomate: dos riscos atuais a novas ameaças, que serão realizadas nos dias 11 e 12 de dezembro no Auditório e Centro de Conferências Infanta Doña Elena, em Águilas.

A Phytoma-Espanha, que em 2010 já dedicou um encontro internacional inteiramente à praga da Tuta absoluta, volta a focar sua atenção nesta cultura. E o faz em uma localidade, Águilas, epicentro da maior área produtora de tomate, integrada pela Região de Múrcia e pela província de Almeria, e com o apoio de Antonio Monserrat, chefe da Equipe de Proteção de Culturas da IMIDA, como Diretor científico da reunião.

Este encontro, destinado a consultores, técnicos, agricultores, investigadores, empresas e, finalmente, a todos os profissionais dedicados ao cultivo de tomate e legumes, abordará, entre outras questões, o porquê do controle da Tuta absoluta se está a complicar, pragas e doenças que voltam a surgir e novas ameaças que pairam sobre essa cultura, a implementação de estratégias de desinfeção do solo, a diversidade de vírus que afetam as plantações de tomate e a disponibilidade de produtos fitossanitários na gestão integrada de pragas. Para isso, contará com a participação de especialistas de reconhecido prestígio nacional e um número extraordinário de palestrantes internacionais no campo da fitossanidade, entre os quais se destacam investigadores do México e de Itália.

Comentários